Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Só por hoje...!

Eu hoje não odeio a segunda-feira. Não tenho de gramar os "diabos", por isso é um dia igual aos outros.
Embora vá ser um dia chatinho, pois vou ter reunião de manhã e de tarde, vai ser óptimo!
Além do mais estou em férias da Páscoa (iupi!), vou tentar descansar um pouco a minha massa cinzenta e fazer coisas de que gosto.
Ah, e esta semana tenho cá a minha B. :P
Boa segunda-feira e uma óptima semana, lovelies! ♥

Início de Semana Pesadelo

Vou começar a semana com um dia muito complicado: é dia de dar aulas àquela turma que causou toda esta problemática que me envolve, vou ter o acompanhamento da minha suposta "boss" na aula e para terminar o dia de trabalho em beleza, vou ter uma reunião com coordenadores das duas escolas, comissão de menores, pais e mais não sei quantas pessoas.

 

Não preciso de vos dizer como vão estar os meus nervos, pois não? 

Espero que esta situação se resolva de forma exemplar e que eu não passe de vítima a acusada (se é que me entendem).

Torçam por mim. :/

Um mau dia para perdê-lo.

Mais uma semana, mais uma segunda-feira. Agenda para hoje: reunião geral seguida de almoço.

 

Depois de uma noite mal dormida, levantei-me cedo, preparei-me e fui para a reunião devidamente equipada, que é como quem diz com caneta, caderno e... máquina fotográfica... just in case! :)

 

Tratados os assuntos da alma, isto é, da reunião, fomos tratar de assuntos do corpo, ou seja, fomos tratar de rechear o estômago. A não ser dois dissidentes, todos fomos degustar um belo Cozido à Portuguesa (mas faça-se jus à minha mãe, o dela é faraway better a million times!!!).

 

Depois dos assuntos internos tratados, foi sugerido que se fosse a algum lado. A ideia até era boa. Mas onde? Decidiram ir jogar matrecos. Thanks, but no thanks! Não desgosto mas não é a minha onda e tinha coisas muito melhores para fazer. Aproveitei a boleia de uma auxiliar que, por acaso, até mora mais acima de mim e que me poupou uma hora em trajectos de autocarros, e vim para casa.

 

Vinha cheia de calor e começei a "desequipar-me". pronta para relaxar um pouco. Tiro a minha garrafa de água da mala e jogo a mão à bolsinha do telemóvel para o tirar da mala. Hã? Onde está? Vasculhei a mala, virei o forro do avesso, procurei nos bolsos e nada! Ai a minha vida...!!! Liguei para o meu telemóvel, ainda assim não estivesse em silêncio. Nada de tremeliques... Onde estaria o raio do telemóvel?!

 

Refiz todo os meus percursos, revi todas as vezes que mexi na mala e no telemóvel e cheguei à conclusão que roubado não tinha sido. Tinha uma certeza de 99.9%. É que se o tivesse sido, já estaria desligado há muito. Mas onde estaria? Só poderia estar na escola ou no restaurante.

 

Voltei a "equipar-me", peguei na mala e rumei à escola. Antes de chegar à escola, entrei no restaurante. Nada tinha sido aí encontrado. Também achei que não seria, já que a mala tinha ficado entalada entre a minha cadeira e a parede e com os fechos virados para mim.

Dirigi-me à escola. Assim que lá chego vejo a Dona J. sentada no muro. Esquisito. Ela chama-me "ó Ticha...!" e eu vou até junto dela. Explica-me, então, que estava ali sentada porque ia entrar às 3 horas mas que não estava ninguém na escola. A Dona T. tinha saído mais cedo e como a Dona J. tinha chaves mas não sabia desligar o alarme novo, ficou sentada no muro à espera que alguém chegasse. É que ninguém lhe disse que, hoje, não haveria crianças na escola, só a reunião.

 

Resultado: sentei-me no muro com a Dona J. à espera que viessem as outras duas senhoras da limpeza que entravam às 5.30h. Fez sol, fez chuva, sentei-me, levantei-me, andei para trás e para a frente e nisto se passou uma hora. Passava toda a gente por ali menos quem devia. E eu, dos nervos, já só me estavam a passar coisas parvas pela cabeça: quem passasse, havia de pensar que estávamos ali as duas ao "ataque", à espera que surgisse algum príncipe desencantado...lol.

 

Finalmente, chegam as outras duas senhoras da limpeza! Portão aberto, alarme desactivado e voei até à sala da reunião. Bolas! Porta fechada à chave. Corri até ao chaveiro e num estalar de dedos fiquei ao pé da porta já com a chave na mão. Benzi-me, enfiei a chave na porta, abri-a e olhei para o sítio onde tinham estado as minhas coisas e... lá estava o meu belo telefoninho, pobre e abandonado!

 

Peguei nele, fechei tudo e desci as escadas eufórica! Peguei na minha mala, desejei Boa Páscoa a todas e vim para casa. Perdi um dia inteiro com isto mas, no fim, acabou tudo bem. Só é pena a chuva e trovoada que tem estado a cair...

 

 

 

Digam lá que o Cozido à Portuguesa não tinha bom aspecto...! :)))

Uma Gaja Abespinhada Fica Assim!

Estou danada, irritada, farta e a sentir-me sei lá como! As pessoas não se organizam e estão a ficar piradas da batatinha e que paga é aqui a AEC(a)!

 

Ponto um - estou farta de trabalhar, farta de avaliações, de reuniões, merdinhas e merdices (desculpem os palavrões mas hoje apetece-me mesmo!)

 

Ponto dois - tenho de fazer a avaliação e selecção dos manuais para o "convento" e não estou minimamente inspirada para a coisa e, pior, nenhum deles me está a apelar à vontade de andar com eles para trás e para a frente.

Os que são giros e bons para trabalhar são caros e com a crise, os pais queixam-se, os directores queixam-se e aqui a teacher que tem de trabalhar com eles, tem de fazer omeletes com ovos, digamos, de galo.

 

Ponto 3 - quando pensava que ia ter uma semanita assim, vá, mais calma, levei ontem com um mail do director do outro colégio a perguntar pelos livros de ponto. Mas qual livro de ponto?! O gajo não compra os do ministério, usa umas folhas ranhosas, que por acaso este ano nem nos entregou nenhumas!

Sumários?! Tenho e não são poucos. Estão é acompanhados das minhas planificações de aula. Se ele quiser fotocopiar tudo... tá à vontade mas depois não se queixe que tá a gastar muito dinheiro.

 

Ponto 4 - ó senhor director, não sabe que o meu contrato termina amanhã?! Ah pois é! E não sabe que a reunião de avaliação - onde devem ser discutidas não só as avaliações mas também os problemas - foi a semana passada? Ah pois é! e que direito é que tem de me mandar a mim e aos outros colegas um mail a convocar uma reunião para fazer mais uma avaliação (não sei de quê) e contar-nos sobre as queixas feitas pelos papás no final do ano?! Ah pois é! Não é o senhor que manda no colégio mas os pais que mandam em si, daí o caos estar a instalar-se de mansinho, minando tudo e todos. Um dia destes vai estar sozinho a tomar conta dos meninos... ai vai, vai!

 

Ponto 5 - preciso de paz e sossego e não ser incomodada por merdinhas e merdices. Já dei o meu litro, que foi mais do que a conta, e por isso, quero gozar um pouco do dolce fare niente. é que para a semana começa a beach season com o convento. God gracious!

 

P.s. - desculpem as minhas lamúrias...

Meeting

                                 

Foi hoje a famosa reunião para a qual fui intimada. Às 9.30h já eu estava no colégio, com muito entusiasmo para começar a reunião (Cof! Cof!) Tinha cá uma saudade de reuniões…

 

A reunião “correu bem”. É bem mais fácil do que as do 2º, 3º ciclo ou secundário e menos burocrática. Pelo menos ali no colégio.

Cada professor falou sobre a sua turma nas diversas áreas a avaliar e por fim os AECs eram ouvidos.

Cada um fez referência ao que se passava nas suas aulas.

 

Chegou a altura do 4º ano e aí é que foi giro! Ia havendo batatada. Não houve, fiquem descansados, foi apenas uma guerra de palavras. Ah, e não foi comigo. Sou demasiado diplomática para espectáculos de graça. Foi entre a professora titular e a brutamontes de música. Eu tenho a sensação de ter visto sair fumo das orelhas da professora titular… ou seria os neurónios a arder por ela estar ao sol? Adiante!

 

Foi uma troca de acusações – em que a brutamontes até tinha uma certa razão -, um degladiar de opiniões e não chegámos a lado nenhum. Ambas tinham pontas soltas por onde se lhes podia pegar, uma por uns motivos, e outra por outros.

 

O director é admirável enquanto mediador e esteve sempre pronto para oferecer soluções para os obstáculos

A reunião acabou às 14.30h e eu não morri de fome porque não calhou. Foram 5 horas de reunião ininterruptas, nem a um cafezinho tivemos direito!

Parece que já foi desta que entrei em férias…

Subi de Posto!

                     

Toca o despertador. Meia endorminhada e com pouca vontade de sair do quentinho dos lençóis, abro um olho, depois o outro e mentalizo-me que tenho de enfrentar o mundo lá fora.

 

Depois de me artilhar contra as agruras do mundo, finalmente saio de casa. Não atrasada mas com pouco tempo para distracções, pelo que não compareci ao encontro marcado com o meu descafeinado. E que falta me fez!

 

Faço rally rua abaixo, mostrando a minha perícia em contornar obstáculos, evitar quedas e desmoronamentos e saltar objectos imprevistos. Estou cada vez mais habilidosa.

 

Consigo atingir o objectivo a que me propus nessa altura: apanhar a camioneta para me levar ao colégio a horas. Aproveitei para verificar os meus registos de avaliação. Eu não seria eu, se não tivesse um engate qualquer na minha papelada. Faltavam-me três registos de avaliação! Raios e coriscos! Mas como sou uma mulher prevenida, tinha uns extras dentro da mala e lá resolvi o assunto.

 

A meio do percurso e após ter apanhado um susto de morte com uma abécula que ultrapassa a minha camioneta e quase tem um choque frontal com a que estava estacionada do outro lado, toca o meu telemóvel. Humm… deve ser a minha mãe, pensei eu. Atendi. Afinal era a S. do colégio. “Professora Pessoinha?” “Sim, estou a caminho S. …” “Então já falamos! Até já!”

 

Eu com o meu pessimismo todo pensei: o que será que eu fiz?! Mas não sou eu que me porto mal mas sim os miúdos… alguns!

Finalmente chego ao colégio. Entrego os registos de avaliação e sou “informada” que tenho de comparecer à reunião de professores.

 

Como no outro período fui a única a não estar presente (é normal em todo o lado os AECs serem tratados como se não existissem, eu até tenho o pseudónimo de invisible woman), fiquei realmente espantada!

Vamos lá ver se não fui convocada porque ninguém queria fazer a acta… Eu e as actas temos uma longa história… argh! Cheira-me a esturro. Mas mesmo assim... subi de posto!